chino moreno conta como as drogas quase acabou com o deftones

19 setembro 2016

Chino Moreno foi entrevistado recentemente pelo portal Team Rock, onde o vocalista falou sobre vários assuntos relacionado ao Deftones, do inicio aos dias atuais, passando pelos altos e baixos no decorrer da carreira, confira:

Sobre a abertura que o deftones fez para o Kiss:

  "A banda mais complicada acompanhar no mundo. As pessoas que vão para ver o Kiss estavam lá realmente para ver o Kiss. Nossas músicas foram bastante "fracas", porque o som ainda não tinha desenvolvido, e as pessoas não entendem. Portanto, estávamos tocando e as pessoas estavam literalmente sentados em frente de nos se manqueando durante todo o nosso show.  sem nenhum movimento de braços pra cima, todos com os braços parados, pra baixo. Houve momentos em que eu pensei, "filhos da puta, eu sei que vocês estão com os braços cansados, podem baixá-lo, sei que nos odeiam." Foi muito difícil, mas ao mesmo tempo uma experiência única."


O abuso de drogas durante a composição / gravação de "Saturday Night Wrist":

 "Naquela época, eu tinha um problema enorme com as drogas que me causou muitos problemas vocais. Antes de chegar a essa idade tudo era muito fácil e eu não prestava atenção a nada, e de repente eu enfrentei a realidade, toda essa merda reprimida, a minha vida foi toda ferrada porque eu tinha ignorado por muito tempo isso. E ao invés de encaixar as peças, eu corri. Eu culpava todo mundo que olhava pra mim, ao invés de mim mesmo. Então, eu tive que aprender lentamente a assumir a responsabilidade para mim. Mas todo mundo estava fazendo isso individualmente. Ficamos muito disfuncional. Eu estava abusando de cocaína e foi fácil. Por alguma razão todos estavam tomando no momento. E não foi apenas em turnê, você começa a levar para casa e isso é uma situação sem saída. Felizmente, fomos capazes de sair dela, mas levou muito tempo para perceber, como, 'eu estou fazendo isso sozinho'. E é um cliché total, cada banda passou por isso, mas sim para aprender com os erros de outras pessoas, há coisas que você tem que entender a maneira dura. Foi uma longa temporada. Durou todos os dias escuros do álbum ( "White Pony"), o auto-intitulado, até que "Saturday Night Wrist". Eu me mudei para Los Angeles e teve um momento de lucidez no plano, o que diabos eu estava fazendo? E a partir daquele dia eu decidi que eu nunca faria essa merda. Eu tive sorte, eu tinha que passar por reabilitação ou qualquer coisa assim.Na época, eu tomei a decisão de nunca ser que cliché. Honestamente, não me custou. Tudo começou a se concentrar e melhorar, só ele confirmou que sim, que era o que estava causando. "

Parar com as drogas, e gravar "Eros" e o acidente de Chi Cheng (2008): 

"Eu e meu colega Shaun (Lopez) fomos para o estúdio e montar o disco ( "Saturday Night Wrist"). E funcionou, foi, entrou em turnê e começou a se reconectar como uma banda, começamos a entrar em um bom lugar. Eles estavam todos limpos, Chi foi limpo e sóbrio e Abe também. Fomos o trio tóxico. Stephen realmente nunca deu drogas. Então, era hora de começar a fazer outro disco. Foi o álbum "Eros". Nós fizemos dois terços. Naquela época eu ainda morava em Los Angeles, mas eu estava hospedado em um hotel em Sacramento e foram tempos difíceis. Foi um único pai, eu tinha se divorciado de minha esposa. Então ainda ser um bom momento como uma banda foi um tempo difícil maldito. Para que as crianças se mudou para Los Angeles com a mim e eu estava indo para terminar o álbum lá. Tivemos dois bons meses encerrados esse registro, e de repente recebi um telefonema dizendo que Chi teve um acidente (que lhe caiu em um coma em 2008 e morreu em 2013). E naquele tempo a coisa estava no ar. Nós não sabia o que iria acontecer no futuro ou o que faríamos. Todos os nossos pensamentos estavam com Chi e a banda era secundário. Levou cerca de cinco ou seis meses para discutir o futuro da banda. Foi quase uma pergunta, se viu todos e a primeira coisa que fizemos foi começar a falar de Chi e apenas voltar a ligar. E de lá nós mergulhar em nossa criatividade, e é aí que começamos a escrever "Diamond Eyes". O álbum "Eros" é inacabado, eu não sei se alguma vez eu acabar indo, mas trabalhar em "Diamond Eyes" Foi como um renascimento, foi quando chegamos a nossa segunda chance. Nós percebemos nossa mortalidade, de como lucky nós para ter a plataforma para fazer música e ter pessoas que você está interessado. A vida é curta, o nosso amigo está em coma e deixamos de lado a nossa tristeza e tudo o que estávamos indo e vamos nos concentrar na música. Nós nos trancamos em uma sala e escreveu um álbum brilhante. E essa foi a segunda vez que tivemos na nossa carreira."

Sua relação com Stephen Carpenter :

"Eu o amo até a morte, mas se eu estivesse sentado aqui com ele e disse: "Tio, eu gosto das cortinas de cinza lá", e ele dizia: "Essas cortinas não são cinza." Ele iria para a cortina para me dizer por que as cortinas não são cinza. É isso aí. É muito argumentativo, ele gosta de discutir tudo. Mas quando você está compondo músicas com alguém é bom ter opiniões diferentes. E isso é o que nos faz quem somos. Eu aprendi a aceitar e amar ele, mas não é simples. Ele permanece assim até hoje. Eu amo ele, mas ele é louco."

Lamb Of God lança o vídeo de "Embers" ft chino moreno

10 agosto 2016

Lamb Of God lançou via Noisey o vídeo clipe para a música "Embers", que tem a participação de Chino Moreno ( Deftones ). O vídeo em questão diz o guitarrista Mark Morton baseia-se na morte de sua primeira filha e sua luta contra o vício em que ele caiu depois da grande desgraça.


Chino se torna o primeiro a tocar dentro de um vulcão

20 junho 2016

Chino Moreno tocou nesse sábado (18) dentro de um vulcão, isso mesmo, 2 dias antes de completar 43 anos chino tocou para um publico seleto de apenas 20 pessoas dentro de um vulcão na Islândia.
O set foi em acústico e especial para o festival Secret Solstice.